nome blog
Mostrando postagens com marcador sobre amizade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador sobre amizade. Mostrar todas as postagens

Resposta negativa

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Eu que dispus aos teus desejos, renunciei ao primeiro:
"- Leve-me ao fim do mundo!"
Seria um desbarato, pular ao fim vida e ter que te amar depressa.

Tu, caça

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Desejaria não escrever mais sobre o amor,
só de amor não se vive a vida.

Também existe vida fora do amor.

Sem amor, não!

Enquanto o brado, bravamente
há outras lutas, a todo vapor.

Teoricamente,
amar é minha luta. 

Incerta.

Praticante, só um louco cativo
que bate em mim e diz que é por amor.

Na guerrilha pela posse desse coração
não existe o dia do caçador...

Planos para outro Plano

quinta-feira, 21 de setembro de 2017


- - - -

Se existiu vida anterior,
nossas almas se desejaram
ardentemente.

Em oposição ao padrão de afeto da contemporaneidade,
os iguais se atraíam.

Viemos do mesmo lugar,
vamos para o mesmo lugar.

Aqui, ocasionalmente
a materialidade do espaço promove distancia entre nós
mas, permanecemos um só.

E sobrevindo a velhice,
com o mesmo encanto,
olharei à minha direita e glorioso estará você.
Estaremos nós.

Nós juntos,
sobrexcedemos o comum.

Não sei ser feliz sozinha...

terça-feira, 22 de agosto de 2017

(ilustrativa ao texto - via)
Considerar, o tempo todo, que não merece se relacionar amorosamente (amizade e/ou namoro) com uma pessoa incrível, não é bom. Obviamente, considero melhores que eu as pessoas que estão comigo, é natural, mas não anulo a ciência que tenho de que sou boa o suficiente para merecê-las.

Se permites que o outro decida sempre, que faça as escolhas das coisas que só dependem de tua decisão; se pensa que as oportunidades são além do que merece (e que não sustentará só); se solicita aprovação para tudo por medo de não aceitação posterior... Esta pode ser considerada dependência emocional - ainda que subconsciente -, onde existe o dependente e o provedor - da informação/aprovação e emoção necessária.

Não conseguir ser feliz 'sem incentivo alheio', também não é bom, pois quando houver (se houver) uma interrupção dessa relação, começarão os questionamentos perturbadores e passarás a acreditar que não sabe como continuar a viver, só.

Fazer tudo por alguém, deixa de ser saudável quando o outro passa a se sentir um fracassado quando está sozinho. Por outro lado, ter ciência e ainda assim permitir/incentivar que o outro transfira a direção da vida ou seja 'manipulado' - por você -, é abusivo.

Caso se sinta dependente emocional, não é vergonhoso reconhecer e buscar apoio para identificar como essa dependência se alimenta e consequentemente trabalhar em promover tua autovalorização e recuperar teu espaço - ainda que para isto seja necessária a interrupção da relação.

É importantíssimo, não confundir e pensar que deve ser independente, imune - emocionalmente - o tempo todo. 
O essencial, é que saiba que se tu está com alguém incrível, é puramente porque este te acha incrível demais. O amor é muito puro para ser intolerante, e o que você sente, diz ou pensa é igualmente importante.