nome blog
Mostrando postagens com marcador poesia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador poesia. Mostrar todas as postagens

tu, caça

terça-feira, 3 de outubro de 2017

desejaria não escrever mais sobre o amor,
só de amor não se vive a vida.

também existe vida fora do amor.

sem amor, não!

enquanto o brado, bravamente
há outras lutas, a todo vapor.

teoricamente,
amar é minha luta. 

incerta.

praticante, só um louco cativo
que bate em mim e diz que é por amor.

na guerrilha pela posse desse coração
não existe o dia do caçador...

"Poesia é ato de revolução!"

terça-feira, 16 de maio de 2017

Ainda não encontrei texto algum, que fosse fiel quanto ao conceito de poesia em sua plenitude. Sempre faltará algo, mas, um é complementar ao outro, sendo assim, conclui-se que as definições são infinitas e singulares aos indivíduos.


Poesia é um gênero literário caracterizado pela composição em versos estruturados de forma harmoniosa. É uma manifestação de beleza e estética retratada pelo poeta em forma de palavras. (via)

Na Estética filosófica, (genericamente) Arte é tudo o que proporciona emoções e sentimentos ao homem: percepção, sensibilidade, sensação, reflexão... 
Nem todo belo é bonito; nem todo bonito é belo. Um exemplo do feio que é belo: Uma gravura ou picho expressivamente agressivo, trágico, grosso, perturbador, obscuro mas que passa uma mensagem de resistência, luta, emancipação... Um exemplo do belo que é feio: Uma representação artística, agradável, com traços leves e sensíveis, em tons pastéis mas que representa a vulnerabilidade social que oprime a grande massa.
Na poética, existem os que discorrem sobre os problemas sociais estruturais ou atuais, com palavras bonitas, quando na real a mensagem denunciada é gatilho para se pensar.

Sendo assim, identifico a poesia como Arte da Estética (apenas uma das inúmeras classificações), pois é capaz de despertar múltiplos sentimentos, podendo ser bela ou feia (segundo a explicação grotesca anterior), sensações boas ou ruins.

Alguns gritam aos poderes pelas ruas, cantam com tambores, gravam nos muros, fazem preces em silêncio... Outros, expiram poesia. Outros ainda, são excessivamente bons e sua essência é composta por um poucochinho de cada expressão.


Em tempos de ódio, poesia é ato de revolução!
É arma contra a opressão do não amor,
É punho em combate contra a dor...
É sonho!


Caique Vilela