nome blog
Mostrando postagens com marcador carinho. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador carinho. Mostrar todas as postagens

Por um triz, retrato escrito

28 dezembro, 2017

Um acervo raro de cachos negros, quem os criou, fez de molde seus próprios dedos.

Uns fiozinhos enraizados na testa que descem delicadamente até a sobrancelha e continuam sobre o maxilar inferior - agora, singelos - ‎quase tocando o pescoço.
Como se referem à pele dos pêssegos.

Quiseram os pêssegos do pomar de minha avó, ter um tecido tão implacável!

A blusa estampada com micro cerâmica portuguesa, abundantemente florida com fundo cor de creme de café - deixe-me dizer o apreço por este grão.
Uma primavera inteira vestindo a flor-rainha...

Eu, despretensiosamente fascinada! 

A nobreza da escrita: dizer muito do indescritível.

"O tremor"

13 dezembro, 2017

cercou por algum tempo e foi estreitando, como se eu fosse presa fácil ou carne barata, como quem desliza os dedos na borda do copo antes de enfiá-los dentro pra pescar a semente que ficou.

decidiu me conquistar e fez. era ousada, me via como nunca repararam - me despia sem tocar - e me falava do Cristo com tamanha convicção.

um vez enquanto elevávamos nossas preces - sendo gratas pelo trabalho, pessoas queridas e a vida -, transpirando, segurou minha mão e fez parecer que sentia medo de escorregar, como no conto de Chimamanda Ngozi, "O tremor" - do livro "No seu pescoço" - senti um tremor - talvez menos intenso que aquele que Ukamaka sentira.

o tremor, majestosamente veio desacompanhado de temor. era o próprio Cristo fertilizando um sentimento tão imaculado que nunca pensei ser digna de hospedar (?), o qual protubera até hoje numa pluralidade que não se contém. desconfio que (co)existo pra, admiradamente, dizer o quão incríveis são as mulheres; o quão incrível é ser mulher - mesmo subsistindo.


captando informação:

07 dezembro, 2017

estar em sossego, é ler suas nobres palavras condensadas que alimenta saudade.

sinal de fumaça: quem  está alerta recebe a mensagem esperada que chega inesperadamente e diz tão bem, que aí ainda há vida.

palavras bem-vindas, bem ditas.

e o ápice?

30 novembro, 2017

um registro, um punhado de sentimentos materializados ou uma tentativa de solidificação de lágrimas felizes.

dessa vez, tô tentando falar do sentimento que se nutre sem presença dos corpos.

(quando a gente tá apaixonado, pensa que é só. se encerra pro externo e se faz pequeno. e não é que ser pequeno te faz menos nobre. se fazer pequeno é tão digno quanto se curvar em reverência ao que é santo. mas não é dessa paixão que tô tentando falar.)

santo! santo pra mim é o que não se corrompe.  que tem ingenuidade no interesse, que quase esvazia os pulmões, que obstrui a drenagem salival, que faz nascer o mar dentro de duas esferas... e dessa vez, não é o coração visceral - suscetível a enganos - se manifestando. é uma coisa mais certa que a certeza desse projeto de existência. uma coisa que é o ápice até que prove outro ápice.

que dignidade tenho pra escolher os amores? quem é que tem? a gente cativa, conquista, tece laços, democráticos, justos e carinhosos. ao nosso alcance, porque quando apertar mais pra um, que pro outro, é quando deve  decidir, se cabe ajustar ou desmanchar...

eu tô tentando falar duma coisa transcendental. não do sentimento desse coração visceral - suscetível a enganos.
uma coisa que só sei que é quando se manifesta, que sem busca a encontro.

os bons se atraem

26 novembro, 2017

coisas boas voltam-se a ficar amontoadas.

acredito tanto, que inventei um campo magnético da bondade - amizade - e dos amantes.

ousei apropriar do 'princípio da inseparabilidade', para um outro - e bom - fim.

"Minha beleza acaba quando começa a da outra!"

17 outubro, 2017

Até recentemente, minha beleza não acabava quando a da outra começava, porque, se quer havia beleza em mim. 

Lastimavelmente, durante a infância e adolescência, compensei a ausência disso no desenvolvimento escolar. Era nota quase sempre A. As outras, no auge das meninices, aproveitando tal, faziam sucesso entre os meninos. Eu nunca senti vontade disso. A maioria das minhas amizades eram meninos, oportunidade essa, que só foi possível graças a minha aparência. Falávamos das meninas de seus interesses e outras coisas meio masculinas. Adorava ficar no anonimato, me escondendo das pops, não estava a altura para acompanhá-las (e já ouvi isso, de forma 'menos' violenta). 

Ninguém se relaciona amorosamente com alguém que não acha bonito. Se eu me achava feia, não havia algum sentimento afetivo por mim mesma. É normal estarmos condicioados a gostar do que o padrão impõe através dos diversos veículos (não, não é normal e o conformismo é doença).

Considero violento, o ato de se comparar com a outra; aliás, um dos mais devastadores. Não se ver em sua imagem, é perigoso. Exterminar o amor que deveria sentir por si, é perigoso.

Uma vez, ouvi uma moça dizer que não se sentia bonita todas as vezes que se via no espelho. As vezes acontece, mas não pode permitir, se isto está sendo influenciado por terceiros.

Hora ou outra, me sinto bela, depois não mais. Algumas vezes porque queria ser como alguma específica, outras, porque queria ter menos disso e mais daquilo. Ainda estou em processo de auto reconhecimento. Me esquivei do auto conhecimento antes, mas hoje não fujo, é mais que necessário. Tenho me moldado conforme sinto necessidade e graças a Deus, nada está sendo tão brusco. 

Ninguém pode te dizer que não é bela, mas dizem. O mercado lucra com a não aceitação alheia. Para o capital, sua beleza não é bem-vinda, quanto maior sua insatisfação, mais gigante ele se sente. Enquanto ele puder te destruir, assim fará.

A minha e a sua beleza, não acabam quando a da outra começa, podemos ser belas no mesmo momento. A Terra dá um jeitinho de comportar tamanha plenitude. 
Você pode ser bonita como você.
Demorei, mas descobri quase sozinha (a afirmação que quase sempre me define). É processo e se precisar de apoio externo para isso, busque um profissional específico, não é vergonhoso.

Dizem que o amor é cego, prefiro discordar. Ele enxerga e além. Quando você se ama primeiro, não há beleza alheia que te intimide, ainda que fique boquiaberta com a beleza da outra. Se amar é uma das expressões mais belas que há. É quando você assume a importância da vida. 

Desejo que ao acordar, você consiga dizer ao padrão e a cobrança excessiva: "Hoje não!"

Faça você: Poltrona LC2 em miniatura

08 janeiro, 2017


Voltando ao principal antigo tema do blog, trago-vos um faça você mesmo de uma miniatura da poltrona do modelo LC2, do  arquiteto, urbanista, escultor e pintor de origem suíça conhecido como Le Corbusier.

Os materiais necessários serão: papelão paraná, palitos de churrasco, colas branca e instantânea, tecido (indico 100% algodão, usei o brim mas o acabamento ficou grosseiro pela ausência de maleabilidade no tecido), tesoura/estilete.

Primeiramente desenvolvi o desenho técnico e separei por módulos para facilitar a visualização da montagem, como nas pranchas abaixo.



Fotografias via Google






Tive erro de dimensão na hora de marcar, por isso o assento ultrapassou os braços como indicado abaixo.O acabamento não está legal, acredito que o tecido tenha influenciado isso.

Disponibilizei o desenho na extensão .pdf, mas acredito que se você imprimir do modo que salvei, ficará em escala menor que 1/10. Por isto, disponibilizei também na extensão .dwg (executável pelo autocad), sendo assim, você pode enviar para uma gráfica rápida e pedir para plotar em sulfite A3. Para acessar os arquivos, clique aqui. O arquivo .pdf está salvo para ser impresso em papel sulfite A3.

O carinho não é valido quando vindo da pessoa errada

06 dezembro, 2016

(foto ilustrativa ao texto - por: Morena Mariah e Yuri Costa, 1º Sarau Afrocena) 

"...Um simples sorriso; ou às vezes um olhar; e que se vem da pessoa errada; não conta..." (Ainda há tempo - Criolo)
Quem nunca recebeu um "sorrisão" de alguém desconhecido pela rua? Quando isso me acontece, sinto uma das sensações mais gostosas do universo. Para receber ou oferecer um sorriso, não existe momento oportuno, qualquer momento é momento.

Gestos espontâneos podem mudar o desenrolar do teu dia, quando bem recebidos. Um desejo de boa tarde, um elogio sincero, um olhar de admiração ou agradecimento.

É comum que todos os dias você crie expectativas relacionadas à pessoas especificas. Que você espere um sorriso, um abraço ou aperto de mão de determinada pessoa. Mas não são todos os dias que você recebe algum gesto dessas pessoas e acaba se sentido frustrada/o.

(foto ilustrativa ao texto - por: Morena Mariah e Yuri Costa, 1º Sarau Afrocena) 

O que você deseja que o outro faça a ti, faça também ao outro. Não escolha quem impressionar, não deixe de oferecer carinho a algum individuo porque você não o conhece. Não receba com pouca importância, só porque não veio de quem você gostaria que tivesse vindo.

Troca de carinho é uma das ações mais ricas existentes. E não estou falando de carinho tocado, na pele, sim de carinho sentido pelo coração. 

E se alguma vez seu gesto de carinho não for bem recebido, não se sinta do dever de parar. Talvez nesse dia, o outro não estava bem e não soube reagir a situação. Talvez tenha sido sem maldade.
"As pessoas não são más, elas só estão perdidas.'' (Ainda há tempo - Criolo)