nome blog
Mostrando postagens com marcador carinho. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador carinho. Mostrar todas as postagens

"Minha beleza acaba quando começa a da outra!"

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Até recentemente, minha beleza não acabava quando a da outra começava, porque, se quer havia beleza em mim. 

Lastimavelmente, durante a infância e adolescência, compensei a ausência disso no desenvolvimento escolar. Era nota quase sempre A. As outras, no auge das meninices, aproveitando tal, faziam sucesso entre os meninos. Eu nunca senti vontade disso. A maioria das minhas amizades eram meninos, oportunidade essa, que só foi possível graças a minha aparência. Falávamos das meninas de seus interesses e outras coisas meio masculinas. Adorava ficar no anonimato, me escondendo das pops, não estava a altura para acompanhá-las (e já ouvi isso, de forma 'menos' violenta). 

Ninguém se relaciona amorosamente com alguém que não acha bonito. Se eu me achava feia, não havia algum sentimento afetivo por mim mesma. É normal estarmos condicioados a gostar do que o padrão impõe através dos diversos veículos (não, não é normal e o conformismo é doença).

Considero violento, o ato de se comparar com a outra; aliás, um dos mais devastadores. Não se ver em sua imagem, é perigoso. Exterminar o amor que deveria sentir por si, é perigoso.

Uma vez, ouvi uma moça dizer que não se sentia bonita todas as vezes que se via no espelho. As vezes acontece, mas não pode permitir, se isto está sendo influenciado por terceiros.

Hora ou outra, me sinto bela, depois não mais. Algumas vezes porque queria ser como alguma específica, outras, porque queria ter menos disso e mais daquilo. Ainda estou em processo de auto reconhecimento. Me esquivei do auto conhecimento antes, mas hoje não fujo, é mais que necessário. Tenho me moldado conforme sinto necessidade e graças a Deus, nada está sendo tão brusco. 

Ninguém pode te dizer que não é bela, mas dizem. O mercado lucra com a não aceitação alheia. Para o capital, sua beleza não é bem-vinda, quanto maior sua insatisfação, mais gigante ele se sente. Enquanto ele puder te destruir, assim fará.

A minha e a sua beleza, não acabam quando a da outra começa, podemos ser belas no mesmo momento. A Terra dá um jeitinho de comportar tamanha plenitude. 
Você pode ser bonita como você.
Demorei, mas descobri quase sozinha (a afirmação que quase sempre me define). É processo e se precisar de apoio externo para isso, busque um profissional específico, não é vergonhoso.

Dizem que o amor é cego, prefiro discordar. Ele enxerga e além. Quando você se ama primeiro, não há beleza alheia que te intimide, ainda que fique boquiaberta com a beleza da outra. Se amar é uma das expressões mais belas que há. É quando você assume a importância da vida. 

Desejo que ao acordar, você consiga dizer ao padrão e a cobrança excessiva: "Hoje não!"

Faça você: Poltrona LC2 em miniatura

domingo, 8 de janeiro de 2017


Voltando ao principal antigo tema do blog, trago-vos um faça você mesmo de uma miniatura da poltrona do modelo LC2, do  arquiteto, urbanista, escultor e pintor de origem suíça conhecido como Le Corbusier.

Os materiais necessários serão: papelão paraná, palitos de churrasco, colas branca e instantânea, tecido (indico 100% algodão, usei o brim mas o acabamento ficou grosseiro pela ausência de maleabilidade no tecido), tesoura/estilete.

Primeiramente desenvolvi o desenho técnico e separei por módulos para facilitar a visualização da montagem, como nas pranchas abaixo.



Fotografias via Google






Tive erro de dimensão na hora de marcar, por isso o assento ultrapassou os braços como indicado abaixo.O acabamento não está legal, acredito que o tecido tenha influenciado isso.

Disponibilizei o desenho na extensão .pdf, mas acredito que se você imprimir do modo que salvei, ficará em escala menor que 1/10. Por isto, disponibilizei também na extensão .dwg (executável pelo autocad), sendo assim, você pode enviar para uma gráfica rápida e pedir para plotar em sulfite A3. Para acessar os arquivos, clique aqui. O arquivo .pdf está salvo para ser impresso em papel sulfite A3.

O carinho não é valido quando vindo da pessoa errada

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

(foto ilustrativa ao texto - por: Morena Mariah e Yuri Costa, 1º Sarau Afrocena) 

"...Um simples sorriso; ou às vezes um olhar; e que se vem da pessoa errada; não conta..." (Ainda há tempo - Criolo)
Quem nunca recebeu um "sorrisão" de alguém desconhecido pela rua? Quando isso me acontece, sinto uma das sensações mais gostosas do universo. Para receber ou oferecer um sorriso, não existe momento oportuno, qualquer momento é momento.

Gestos espontâneos podem mudar o desenrolar do teu dia, quando bem recebidos. Um desejo de boa tarde, um elogio sincero, um olhar de admiração ou agradecimento.

É comum que todos os dias você crie expectativas relacionadas à pessoas especificas. Que você espere um sorriso, um abraço ou aperto de mão de determinada pessoa. Mas não são todos os dias que você recebe algum gesto dessas pessoas e acaba se sentido frustrada/o.

(foto ilustrativa ao texto - por: Morena Mariah e Yuri Costa, 1º Sarau Afrocena) 

O que você deseja que o outro faça a ti, faça também ao outro. Não escolha quem impressionar, não deixe de oferecer carinho a algum individuo porque você não o conhece. Não receba com pouca importância, só porque não veio de quem você gostaria que tivesse vindo.

Troca de carinho é uma das ações mais ricas existentes. E não estou falando de carinho tocado, na pele, sim de carinho sentido pelo coração. 

E se alguma vez seu gesto de carinho não for bem recebido, não se sinta do dever de parar. Talvez nesse dia, o outro não estava bem e não soube reagir a situação. Talvez tenha sido sem maldade.
"As pessoas não são más, elas só estão perdidas.'' (Ainda há tempo - Criolo)