Caridade é salvação!

(foto ilustrativa - via)

Pós trocas de algumas palavras com pessoas que acreditam que "objetos de brechó, vêm com espíritos maus", fui até um amigo para compartilharmos pensamentos, e, chegamos a um desfecho.

O Deus que tenho a honra de abrigar, com toda sua benevolência, jamais permitiria que fruto algum, da caridade, chegasse aos teus com 'corpos estrangeiros indesejáveis'. Acredito que o teu, também não.

Se alguma vez você já doou algo que não te cabia mais, foi graças a caridade e ao teu Deus. Sendo assim, da mesma forma que doa, porque não receberia? Seria você, superior aos que consomem deste departamento? Hipocrisia, não?
O universo está em constante vibração. Tudo vai e vem, hoje com você, amanhã com o outro, é natural.

Dos giros de capitais, este é um dos mais bonitos: consumo consciente, progressivo e majoritariamente includente. A caridade está presente em quem desapega e em quem adquire. Não é uma das dádivas mais bonitas? Então não há o que temer, as hostes maléficas não te atingirão!

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine.
Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, não sou nada.
A caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante.
Nem escandalosa. Não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda rancor.
Não se alegra com a injustiça, mas se rejubila com a verdade.
Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade - as três. Porém, a maior delas é a caridade."
(Coríntios I 13:1,2,4,5-7 e 13)