Sangue do sangue do sangue

terça-feira, 5 de junho de 2018
Meu avô casou com a prima, que é minha vó, esposa e prima. O irmão do meu avô casou com a prima, que é prima e cunhada do meu avô. O primo do meu avô casou com a irmã do meu avô, que é primo e cunhado do meu avô. Meu pai e meus tios são sangue do sangue. Eu, meus irmãos e meus primos somos sangue do sangue do sangue.

Minha avó conta que "muitos homens brancos a queria" - cof! -, mas se casou com meu avô: trabalhador rural, pobre e preto.

Seria a época de mulheres pretas agorafóbicas, que os homens da família, por caridade, tiveram que casar-se com elas?

Meu avô era um homem de sangue bom que não valia menos que qual fosse o homem branco.

Brasil republicano-ex-monárquico, a terra que enriqueceu barões cafeicultores - fruto originário da Etiópia - com mão de obra escrava africana.

Mas, moça com pele cor-de-café torrado não é bonita. Moço com pele cor-de-café torrado não é bom.

Gente preta é preterida desde o pretérito.

Nenhum comentário

Postar um comentário

 
INÍCIO | PRA TI SOU ELI | CUBO URBANO? | EU, VITIMISMO | ARQUITETURA | POESIAS | CONTATO


Desenvolvido por Michelly Melo
Ilustração por Gabriela Sakata
CUBO URBANO 2014 - 2018