AOS PEDAÇOS ME DESPEÇO

5 de fev de 2018
1.

Me roubaram
o sonho,
o entusiasmo
e o nome intransferível

Me cortaram as asas no percurso do voo
e o céu despencou em chuva de choro

Minha língua expele amargura
Não há beijo com paladar que me beije,
não há carinho mais marcante que as pedras sobre minha cabeça,
não há corpo macio que meus ossos repousem

Minha salvação não vale meus amores
e as injustiças não merecem minha salvação

Me tiraram o direito da morte,
pois em meu nome não há terra para que me cubram

O que podia ser salvo
fracionei entre os pedintes
E o restante de meu tempo
meu sangue
e minha carne,
apodrecem de dentro pra fora
e até o odor se abstém de mim

Ceifaram tudo,
meu descanso em paz

Há tempo que o luto tem a chave de casa
e ensaia a cerimônia triunfal.

2 comentários

 
Desenvolvido por Michelly Melo
CUBO URBANO 2014