diminuto

terça-feira, 9 de janeiro de 2018
se espremida, meia gota
palavra incompleta
edição pocket 
na entrelinha
dentro do ponto final 
entre um respiro e outro... 
quilos, metros, espraiados pela metrópole
cortando o céu cinzento num viés invisível
dissipando no sopro do carbônico
onde as nuvens são de lágrimas
o fim, desejado
a lástima, poupada
e a despedida, imprecisa.
outra partícula que parte
ao dormir com a Lua,
o Sol acordará desacompanhado.


Nenhum comentário

Postar um comentário

 
INÍCIO | PRA TI SOU ELI | CUBO URBANO? | EU, VITIMISMO | ARQUITETURA | POESIAS | CONTATO


Desenvolvido por Michelly Melo
Ilustração por Gabriela Sakata
CUBO URBANO 2014 - 2018