mesquinhice

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

sempre quando some
declamo
por dentro
para tudo que há de santo
que nunca mais me deixe só
ou, ao menos,
que mande notícias
que cabem no bolso do meu paletó

foge
e eu corro atrás fujindo da solidão
foge?
quem mais aqui é cativo se não eu sendo arrastada no seu calcanhar?
vá devagar
ou me deixe só
e mande notícias
que cabem no bolso do meu paletó
nem que for pra dizer que não vai voltar

fugiu!
na mesma velocidade do tempo que chegou

nos bolsos do meu paletó:
mal cabem as fotografias recortadas
e os lenços que me deu,
encharcados de enxugar lágrimas

Nenhum comentário

Postar um comentário

 
INÍCIO | PRA TI SOU ELI | CUBO URBANO? | EU, VITIMISMO | ARQUITETURA | POESIAS | CONTATO


Desenvolvido por Michelly Melo
Ilustração por Gabriela Sakata
CUBO URBANO 2014 - 2018