nome blog

Eu, vitimismo: Capítulo IV - Não somos todos iguais

segunda-feira, 31 de julho de 2017

(ph: Tainan Silva)

Mais um capítulo lírico-comum.

Essa falácia incessante que diz que "somos todos iguais"; me irrita, me faz refletir e me toca toda vez que leio ou escuto.

Juro, juro que tento entender o que vos convence a acreditar neste argumento. Essa sociedade, máquina de moer carne humana e digerir espírito, não promove a tal igualdade que tanto fala. Fala por hábito ou senso comum. Não se pode, 517 anos depois, ainda ter a audácia de se recusar a entender a causa e respeitar a luta alheia.

Não somos todos iguais, se tu trata os grupos da minoria como sinônimo de obsolescência humana. Teu higienismo é sujo.

Não somos todos iguais, se tu acredita em meritocracia e defende 'as suas conquistas', com o argumento de que todos possuem oportunidades iguais. Não, não faça os vulneráveis acreditarem que não merecem benção de suas divindades e que por este motivo estão onde estão.

Não somos todos iguais, se tu acredita que não é útil educar pessoas pobres, afim de mante-las te servindo e varrendo o chão que pisas. Ou se queres, que elas continuem sendo invisíveis, sem conhecimento a nível básico que seja, para que não tomem ciência de seus direitos e saiam do anonimato, denunciando toda sua opressão.

Não somos todos iguais, se tu comemora a destituição de governos democráticos e progressistas, mesmo sabendo em que dimensão chegará a deficiência, para os que dependem dos programas sociais. Ou se priva alguém, de seus direitos.

NÃO, NÃO SOMOS TODOS IGUAIS, se tu não abre mão dos teus privilégios para o outro usufruir de parte dele. 


Quero viver para tangir a emancipação desse povo. Hoje, essa parcela é como a tartaruga, daquela fábula 'A lebre e a tartaruga'. Caminhando devagar, resistindo e confiante de que um dia cruzará a linha de chegada. A diferença, é que essa tartaruga nunca partiu do mesmo ponto inicial que a lebre, sabotaram-os.  As lágrimas se secarão e não será por desidratação.
. . .

2 comentários:

  1. Eli! Que contéúdo, nossa! Estou surpresa, encantada, extasiada com tanta inteligência, delidadeza, dom e relevância, mesmo!
    Primeira vez no teu blog e amei de verdade! Que texto lindo, vou voltar sempre aqui, com toda certeza"!
    Que Deus contuinue te abençoando flor e que você voe! O céu é o limite. Beijos!

    PS.: layout lindo!

    http://minhavidacontadaempoesia.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ananza!!!

      nossa, que carinho, Brasil!
      ofereço minha gratidão imensurável, por cada sentimento que fui capaz de lhe provocar!
      que Deus continue com sua benção sobre nós, e sim, o céu é nosso limite.
      sem dúvida, tu é um dos motivos para eu continuar partilhando minhas observações acerca da relação vida-mundo!

      sua presença é bem-vinda...
      beijoca, querida! 😘

      Excluir